sexta-feira, 17 de abril de 2015

Buracos de Minhoca - Atalhos Através do Espaço-Tempo [Artigo]

Um buraco de minhoca é uma passagem hipotética através do espaço-tempo que pode criar atalhos para viagens pelo universo. Buracos de minhoca são previstos pela Teoria Geral da Relatividade. Mas cuidado: Buracos de minhoca devem ser instáveis e podem colapsar a qualquer momento, são poderosas fontes de radiação letal e devem ser rodeados por matéria exótica, a qual não sabemos muito sobre seus efeitos.

A Teoria do buraco de minhoca
Em 1935, os físicos Albert Einstein e Nathan Rosen usaram a Teoria da Relatividade para propor a existência de "pontes" através do espaço-tempo. Estes atalhos, chamados de pontes de Eisntein-Rosen ou buracos de minhoca, conectavam diferentes pontos do espaço-tempo. Teoricamente criando ligações que reduziriam o tempo e a distância percorridos em uma viagem espacial.
Hipernovas: Buracos de Minhoca - Atalhos Através do Espaço-Tempo [Artigo]


Buracos de minhoca possuem duas bocas, com uma garganta conectando as duas. Esta garganta pode ser uma extensão linear, mas também pode se enrolar em volta de um eixo.

A Teoria da Relatividade de Einstein matematicamente prediz a existência de tal estrutura, mas na prática, obviamente, ninguém a observou, seja na natureza ou através de experimentos. Um buraco de minhoca de massa negativa poderia ser observado se pudéssemos ver a luz de alguma estrela ser distorcida ao passar pelas suas imediações.

Certas soluções também apoiam a existência de buracos de minhoca, mas nestes casos, as bocas seriam nada mais, nada menos que buracos negros. No entanto, a ocorrência natural de um buraco negro decorre do colapso de estrelas massivas e não criariam, a princípio, buracos de minhoca.

Através de um buraco de minhoca
A ficção científica é rica histórias que contam viagens através de buracos de minhoca. Mas na realidade, este tipo de viagem é um puco mais complicada e não apenas pelo fato de nunca termos sequer visto um.

O primeiro problema é o tamanho. Buracos de minhoca primordiais deviam existir, mas em níveis microscópicos, no início da formação do Universo, contudo, conforme o Universo se expandiu, é possível que alguns destes buracos tivessem aumentado para tamanhos que poderiam permitir viagens.

Outro problema vem da instabilidade. Os buracos de minhoca previstos por Einstein e Rosen seriam imprestáveis, pois colapsariam muito rapidamente. Por outro lado, estudos recentes parecem revelar que pontes de Einstein-Rose contendo matéria exótica poderiam ficar abertos por longos períodos de tempo.

É importante não confundir matéria exótica com matéria escura ou antimatéria, esta contém densidade de energia negativa e uma incrível pressão, também negativa. Tal tipo de matéria só pode ser vislumbrada em certos estados de vácuo previstos na teoria quântica.

Se uma ponte de Einstein-Rosen contivesse matéria exótica suficiente, seja ela de origem natural ou artificialmente acrescentada, poderia, teoricamente, ser usada para enviar informações, equipamentos ou exploradores por ela através do espaço-tempo.

Buracos de minhoca podem não conectar apenas dois pontos no Universo como também poderiam conectar dois diferentes universos. Alguns cientistas sugeriram ainda, que se uma destas bocas fosse movida de uma maneira específica, poderia proporcionar a seus manipuladores, viagens no tempo, embora um dos físicos mais influentes e respeitados de nossa época; Stephen Hawking, afirme que é impossível.

"Um buraco negro, definitivamente, não nos pode fazer voltar no tempo. É um atalho que faz com que o que está muito longe fique muito perto", disse Eric Christian, da NASA.

Embora o fato de adicionar matéria exótica à ponte de Einstein-Rosen possa fazer com que esta permita a passagem de humanos através de si, ainda há o risco da matéria que atravessaria a ponte ser suficiente para desestabilizar e fechar o portal, mandando tudo o que estiver atravessando a passagem à lugares inimagináveis.

Infelizmente, nossa tecnologia atual não é capaz de aumentar nem estabilizar buracos de minhoca mesmo que fossem encontrados. Contudo, cientistas continuam explorando o conceito, na esperança que nossa tecnologia um dia nos permita utilizá-los.

Dados via: www.space.com