sexta-feira, 29 de maio de 2015

O Que Aconteceria se Um Pedaço de 1 Metro Cúbico de Uma Estrela de Nêutrons se Chocasse Com a Terra? [Artigo]

Bom, algumas coisas bem interessantes aconteceriam se um cenário como este fosse possível. Então vamos lá:

Estrelas de nêutrons têm uma densidade de cerca de 10^18 kg/m^3, logo, um pedaço de um metro cúbico deste corpo iria conter uma massa aproximada de 10^18kg - Tenha em mente que a Terra inteira tem uma massa apenas 6 milhões de vezes maior que isso.

Corpos celestes viajam às mais diversas velocidades, mas vamos usar para nossa simulação, a velocidade de 50.000 metros por segundo. Logo, a energia cinética envolvida seria algo como 10^27J. Tal energia corresponderia à detonação simultânea de 10 bilhões de bombas nucleares como a Tsar Bomba (bomba nuclear mais potente já detonada).
Hipernovas: O Que Aconteceria se Um Pedaço de 1 Metro Cúbico de Uma Estrela de Nêutrons se Chocasse Com a Terra? [Artigo]


Note que só a colisão já decretaria o fim de toda a vida existente em todos os lugares da Terra. No entanto, dá pra ficar muito pior e como todos nós nos impressionamos com cenários catastróficos, vamos explorar ainda mais esta tragédia:

Estrelas de nêutrons são corpos celestes muito estranhos. Se esta bola, com volume de 1 metro cúbico aparecesse de repente, nos limites da nossa atmosfera, a liberação de sua energia cinética seria a menor das nossas preocupações.

Matéria tão densa quanto a encontrada neste tipo de estrela, consiste de um monte de nêutrons acomodados tal qual um monte de gente se espremendo em um vagão de trem muito, mas muito lotado. Os nêutrons acabam por ficar quase sem nenhum espaço entre eles.

Forças gravitacionais fortíssimas mantém esses nêutrons ultra compactados, além de impedir que eles façam o que costumam fazer naturalmente sob condições "normais", ou seja: decair.

Uma vez livres da intensa força gravitacional que os confina em uma pequena esfera de um metro cúbico, tais nêutrons imediatamente expandiriam em uma gigantesca esfera e logo decairiam. A diferença de massa entre os nêutrons e os produtos de seu decaimento (prótons, elétrons e neutrinos) seria transformada em energia pura. Esta diferença equivaleria à cerca da décima milionésima parte da massa original, logo:

Nós podemos calcular a quantidade de energia liberada usando a famosa fórmula: E=mc^2, então a décima milionésima parte de 10^18kg transformada em pura energia nos daria:

E=(10^15 x 3x10^8 x 3x10^8) = 10^32J

Isto meu caro, é 100.000 vezes mais potente que a energia cinética envolvida em uma colisão com a Terra. Tal liberação de energia seria mais que suficiente para derreter boa parte da Terra, remover nossa atmosfera, nossos oceanos e se por acaso, nossa Lua estivesse no lugar certo (ou errado) seria destruída como uma melancia o é quando golpeada por uma marreta.