terça-feira, 5 de maio de 2015

O Que Decretará o Fim da Terra: A Colisão da Via-Láctea Com Andrômeda ou a Morte do Sol? [Artigo]

Os dois eventos são inevitáveis, mas um dos dois destruirá a Terra. Você é capaz de adivinhar qual? Não? Então vamos descobrir:
Hipernovas: O Que Decretará o Fim da Terra: A Colisão da Via-Láctea Com Andrômeda ou a Morte do Sol? [Artigo]


A inevitável colisão da nossa Via-Láctea com a galáxia de Andrômeda será muito mais uma dança gravitacional entre os corpos das duas galáxias que muito provavelmente não destruirá nem o nosso, nem qualquer outro sistema solar, seja na Via-Láctea, seja em Andrômeda.

A morte do Sol

Já o nosso Sol irá, perto do final de sua vida, inchar grotescamente como gigante vermelha já bem depois que Via-Láctea e Andrômeda tiverem se chocado e formado uma única grande nova galáxia. Cientistas ainda discutem se a atmosfera do Sol chegará até a órbita da Terra e neste caso, ela acabará caindo em direção ao núcleo do Sol, devido à perda de velocidade por conta do atrito da mesma com a atmosfera do Sol (cenário que certamente decretará o fim de Mercúrio e Vênus) ou se a atmosfera do Sol não chegará à órbita da Terra e neste caso ela será somente "assada" assim como Mercúrio atualmente.

O fato é que a estrela que hoje promove e sustenta a vida na Terra será também nosso impiedoso carrasco daqui a cerca de 5 bilhões de anos.

Via-Láctea versus Andrômeda

Quando se fala em colisões entre galáxias tente entender que, apesar de uma galáxia típica ser formada por centenas de bilhões de estrelas, a maioria do espaço que elas ocupam é essencialmente vazio. Note que, em nosso caso, a estrela mais próxima está 250 milhões de vezes mais distante de nós que o nosso Sol, há 4 anos-luz de distância.

Saiba também que 99,98% da massa do Sistema Solar se concentra no Sol, que por sua vez, ocupa somente 4% de um bilionésimo de uma esfera hipotética que tenha como centro o Sol e chegue até a órbita de Netuno.

Estrelas que colidem são uma raridade extrema. O máximo que poderá acontecer no decorrer da fusão da Via-Láctea com Andrômeda serão mudanças nas órbitas de algumas estrelas nos centros das duas galáxias, enquanto outras estarão sendo arremessadas rumo ao espaço intergaláctico, mas ao contrário do que os astrólogos falam, estas estrelas (exceto a nossa própria) não contribuirão com a dramática morte da Terra e de todos os seres que hoje a têm como casa.

Será mais como um evento de luzes, cores e formação de muitas novas estrelas, se alguém ou algo ainda estiver vivo aqui ou em outro planeta (Marte, quem sabe) para testemunhar o espetáculo!
Hipernovas via: www.hipernovas.com.br