sábado, 23 de maio de 2015

O Que Você Veria em Plutão, Caso o Visitasse [Artigo]

Às 11 horas e 49 minutos do dia 14 de julho deste ano, um acontecimento histórico chamará a atenção do mundo para um pequeno e distante ponto no céu. A sonda New Horizons chegará ao ponto mais próximo do planeta anão Plutão e suas cinco luas conhecidas - Um grande marco na história da exploração espacial. Mas vamos viajar um pouco com a nossa imaginação até um futuro um pouco mais distante, no qual a Terra mandaria não só uma sonda, mas uma missão tripulada à Plutão.
Hipernovas: O Que Você Veria em Plutão, Caso o Visitasse [Artigo]


Imagine que você é um dos dos astronautas que foram mandados em uma missão tripulada ao planeta anão lá pelos anos, digamos 2100. Ao sair da sua lander você provavelmente já notaria a maior lua do sistema, Caronte fixada no céu. Plutão e Caronte estão travados por forças de maré e como consequência, um sempre mostra a mesma face para o outro. É parecido com o que acontece com a Terra e a Lua: A Lua sempre nos mostra a mesma face pois está travada à Terra por forças de maré. A diferença é que a Terra, por ser maior, não está travada à Lua e por conta disso, um observador na Lua veria a Terra girar.

Plutão orbita Caronte e vice-versa, em 6.37 dias terrestres e os dois corpos estão separados por apenas 19.600 quilômetros de distância - A mesma distância à qual alguns satélites orbitam a Terra.

Caronte apareceria para você nove vezes maior que a nossa Lua aparece para nós em nossos céus e as outras luas de Plutão - Nix, Hydra, Kerberos e Styx apareceriam como estrelas se movendo gradualmente pelo céu, enquanto Caronte ficaria lá, fixada sempre no mesmo lugar, o tempo todo.

O Sol seria o objeto mais brilhante no céu, mas não se pareceria em nada com o que estamos acostumados. O Sol visto de Plutão ocuparia apenas um arco de minuto no céu e se pareceria como uma estrela, como as que vemos da Terra, mas que estrela!

Ostentando uma magnitude de -19 o Sol ainda seria 650 vezes mais brilhante em Plutão do que a Lua cheia é na Terra, mas todo este brilho ocupando uma pequeníssima área no céu.

Júpiter seria o planeta mais brilhante em Plutão, com uma magnitude de 2.5, algo que o deixaria parecido com as estrelas mais fracas da constelação do Cruzeiro do Sul, mas se você olhasse com muito cuidado para uma distância de cerca de três luas cheias à partir do Sol, na direção certa, poderia ver, com muita dificuldade, uma fraquíssima "estrela" de cor azulada - A nossa linda casa - Você se daria conta de que fez uma longa jornada para visitar este planeta frio e distante, localizado nos limites do Sistema Solar, mas ao contrário da nave New Horizons, se tudo der certo, você voltará.

Dados obtidos de: www.space.com