terça-feira, 30 de junho de 2015

Deve Haver Universos Muito Mais Favoráveis à Vida Que o Nosso - Dizem Astrônomos [Artigo]

Talvez ainda não tenhamos encontrado vida alienígena pelo fato dela estar evoluindo em outros universos. Um grupo de astrônomos acabou de publicar uma teoria na qual sugerem que outros universos podem ser muito mais favoráveis à vida do que o nosso e tudo dependeria de pequenas variações ocorridas logo após o nascimento destes universos.

Há cada vez mais consenso entre os cientistas de que nós vivermos em um universo que por sua vez é parte de um multiverso. Cada universo neste multiverso teria suas próprias coleções de leis físicas e propriedades.
Hipernovas: Deve Haver Universos Muito Mais Favoráveis à Vida Que o Nosso - Dizem Astrônomos [Artigo]


O físico Fred Adams e seus colegas, da Universidade de Michigan, sugerem em sua publicação no arXiv, que universos diferentes seria originados por "flutuações na amplitude da densidade primordial", a qual chamaremos, a partir de agora, simplesmente por Q.

Basicamente, Q descreve as diferenças entre as regiões densas e vazias do espaço. Um valor alto para Q significa que a flutuação é alta, ou seja, há áreas extremamente densas e áreas extremamente vazias.

Em nosso universo, o valor de Q não é alto, o que explica o fato do nosso universo ter muita matéria espalhada, com grandes espaços entre estrelas e galáxias.

Mas então, como seria nosso universo se o valor de Q fosse mais alto e nossas galáxias fossem bem mais densas, ao contrário do que realmente ocorre?

Bom, primeiramente, estrelas estariam muito mais próximas umas das outras. Logo, se fosse nosso caso, nós receberíamos luz e calor de centenas ou milhares de estrelas próximas e não de uma única estrela local. Poderia ser bem mais perigoso, com grandes pedações de rocha espacial se chocando com outras coisas e estrelas colidindo entre si, causando mega explosões, mas este tipo de universo com alto valor de Q seria também muito mais quente e mais hospitaleiro ao desenvolvimento e à manutenção da vida.

De fato, seria até possível viver em um planeta errante, desgarrado de uma estrela mãe, orbitando sozinho sua galáxia, iluminado e aquecido por centenas ou milhares de estrelas próximas. Em um mundo como este, jamais existiria noite.
Impressão artística mostrando um planeta errante, iluminado apenas pela luz das estrelas da Via-Láctea. Pelo fato de as estrelas neste universo estarem à grandes distâncias umas das outras,  a intensidade da luz que chega a este tipo de planeta é muito baixa, mas em um universo muito mais compacto, este planeta seria iluminado e aquecido por centenas ou milhares de estrelas próximas.

Referências:
1- http://gizmodo.com/astronomers-say-there-may-be-other-universes-that-are-b-1713973728
2- http://arxiv.org/abs/1505.06158