terça-feira, 9 de junho de 2015

É Possível Que Luas Tenham Suas Próprias Luas? [Artigo]

Astrônomos podem dizer, com uma certa margem de segurança, que não existem luas de luas no nosso Sistema Solar, mas tal observação não implica em impossibilidade. Se considerarmos um satélite artificial como uma lua, então a nossa própria lua já teve luas. Saiba que a NASA já colocou satélites em orbita de nosso satélite natural.

Neste exato momento, o Orbitador de Reconhecimento Lunar (LRO) está orbitando a Lua e passa muito bem obrigado, fotografando sua superfície em alta resolução. No entanto, como aconteceu com todos os outros orbitadores enviados para lá, a LRO está condenada. Nenhum satélite durou mais que alguns anos orbitando-a. Todos tiveram o mesmo destino: despedaçar-se e virar mais uma cratera na superfície da Lua.
Hipernovas: É Possível Que Luas Tenham Suas Próprias Luas? [Artigo]


Mas por quê um satélite artificial ou  um lua não tende a durar muito em órbita da Lua ou das outras luas do nosso Sistema Solar?

A resposta tem a ver com gravidade e forças de maré. Todos os objetos no Universo estão sob a influência de esferas invisíveis de gravidade. Se puséssemos a Lua ou qualquer outra lua no meio do espaço interplanetário, bem longe das esferas gravitacionais de outros planetas, nada impediria que a nossa ou outras luas tivessem suas próprias luas, mas quando as trazemos para perto dos seus planetas, a coisa se complica.
Algumas notáveis luas do nosso Sistema Solar com a Terra no canto inferior direito para efeito de comparação. Embora algumas destas luas sejam realmente grandes, nenhuma delas tem sua própria ou suas próprias luas.

Na configuração atual, as esferas gravitacionais das luas do Sistema Solar se misturam com as dos seus planetas, então qualquer objeto que orbite uma lua nestas condições estará sujeito à pertubações gravitacionais e à forças de maré, que acabarão por desestabilizar sua órbita, fazendo ou com que esta lua se choque ou seja arrancada do sistema.
Imagine se a Terra tivesse uma lua, que por sua vez tivesse uma lua. As noites enluaradas seria bem mais interessantes, não?

Talvez ainda esteja para ser descoberto um planeta ao redor de alguma outra estrela, o qual tenha uma lua orbitando-a a uma distância incrivelmente grande - Grande o suficiente para que a gravidade desta lua possa fazer frente à gravidade de seu planeta pai, e ao redor desta lua, sejam vistas não uma, mas um conjunto de algumas pequenas luas, orbitando-a de forma estável e duradoura.