domingo, 26 de julho de 2015

China Quer Encontrar Extraterrestres Com Seu Novo Radiotelescópio de 500 Metros [Artigo]

A construção do que virá a ser o maior radiotelescópio do mundo está a pleno vapor. Uma vez completado, o grande radiotelescópio irá explorar as origens do Universo e varrerá os céus em busca de sinais de vida extraterrestre.
Hipernovas: China Quer Encontrar Extraterrestres Com Seu Novo Radiotelescópio de 500 Metros [Artigo]
Super radiotelescópio FAST, de meio quilômetro, é a nova aposta da China para encontrar vida alienígena.



Localizado na província de Guizhou, o equipamento conhecido como FAST (Telescópio Esferical com Abertura de 500 Metros) excedirá com folga as capacidades de outro radiotelescópio gigante: O Radiotelescópio de Arecibo, em Porto Rico, que conta com uma abertura de 305 metros.

O novo equipamento fica relativamente distante de grandes cidades, o que permitirá que opere com baixos níveis de interferência oriundos de equipamentos eletrônicos da própria Terra.

Como dito acima, o refletor principal do telescópio medira 500 metros, será formado por 4.450 painéis e cada um destes painéis (em formato triangular) medirá 11 metros de lado.

Uma vez finalizado, o que devera acontecer já no ano que vem, o FAST poderá olhar para o espaço até três vezes mais longe que o radiotelescópio de Arecibo.
Este é o radiotelescópio de Arecibo, que conta com uma superfície refletora de 300 metros.

"Um radiotelescópio é como uma grande orelha, capaz de escutar os sinais mais tênues que viajam através do Universo," disse, Nan Redong, cientista chefe do projeto FAST no Observatório Astronômico Nacional, na Academia Chinesa de Ciências.

O novo equipamento deverá ser capaz de escutar os mais fracos sinais, permitindo que cientistas como os do Instituto SETI (inglês) possam refinar sua incansável busca por civilizações extraterrestres.

"Dispondo de um equipamento mais sensível, poderemos detectar mensagens muito mais distantes e fracas", disse Wu Xiangping, diretor geral da Sociedade Astronômica Chinesa. "O FAST nos ajudará a procurar por vida inteligente fora da nossa galáxia e a explorar as origens do Universo," concluiu.

Obras do FAST estão em dia e o novo radiotelescópio deverá ficar pronto em 2016.
Referência: http://www.china.org.cn/china/2015-07/24/content_36136455.htm